Pesquisar este blog

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

PT se diz vítima de acusação falsa e perseguição no caso Gleisi


Executiva Nacional do PT classificou como "totalmente falsa" a denúncia contra a senadora Gleisi Hoffmann e seu esposo, o ex-ministro Paulo Bernardo, feita nesta sexta-feira, 24, pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, no âmbito das investigações da operação Lava Jato.

"O Ministério Público montou a denúncia com base exclusivamente em delações contraditórias de réus interessados em obter benefícios penais, sem apresentar nenhuma prova, o que é contra a lei", diz o partido.

Para o PT, acusação é mais um capítulo de perseguição ao partido.

"A violência cometida contra a presidenta Nacional do PT mostra, mais uma vez, a perseguição contra o partido e suas lideranças, movida por setores do sistema judicial e da mídia".

Desabafo da senadora Kátia Abreu

A mesma comissão que me expulsou (do Partido) não abriu processo contra peemedebistas presos por corrupção!

Por que ladrão tucano não vai em cana?

Primeiramente, porque não vem ao caso!​

Conversa Afiada, 24/11/2017

A Globo Overseas e o PiG se lambuzam com a cobertura da roubalheira desenfreada no Rio.

E a com a patética subida e descida de decisões na Assembleia Legislativa e no Supremo, como se fossem trapézios de um circo em Diamantino, MT.

Os cabrais, os acciolis, os sadalas, os piccianis são execrados do Mau dia Brasil ao jornal (sic) que era do saudoso William Waack!

Primeiro, os ladrões do Rio precisam ser responsabilizados pela crise econômica do Rio.

Para, com isso, poupar o Judge Murrow, esse, sim, o maior responsável pela destruição do parque econômico construído em torno do petróleo e do gás, agora doado pelo Mishell à Shell.

Outros que se beneficiam dessa crucificação dos ladroes do Rio são o próprio Mishell e os açougueiros desse tal neolibelismo.

Eles, sim, também responsáveis pela colossal crise econômica que assola o Rio e o Brasil.

Mas, que a Globo Overseas e seus colonistas consideram um programa econômico hayequianamente perfeito: gerado da Casa das Garças, no INSPER e das câmaras escuras do Pinochet!

Segundo, ao tratar dos ladrões do Rio, o PiG omite o papel relevante do Mineirinho​ na generalizada patranha.

E, o mais importante, joga para debaixo do tapete a corrupção desenfreada que os tucanos promovem em São Paulo, desde quando Mugabe chegou ao poder!

Por que não tem tucano preso?

Primeiramente, como diria o Ciro Gomes, porque não vem ao caso!

Os tucanos de São Paulo são a última reserva moral da Casa Grande!

(Imagine a penúltima, amigo navegante...)

E não tem tucano paulista em cana porque:

- o Ministério Público de São Paulo é um dos mais bem pagos do mundo - pelos tucanos!

- o Ministério Público Federal de São Paulo é mais tucano que o estadual;

- o sistema judicial de São Paulo mantem com os tucanos uma relação de causa-e-efeito (para ser gentil);

- a Polícia de São Paulo mantem com os tucanos no poder uma parceria tão sólida quanto a que a associa (de sócio...) ao PCC (que, como disse o Santo do Alckmin, acabou!);

- por fim, a Polícia Federal de São Paulo é mais do que "aecista": é serrista!

Por isso, amigo navegante, só os ladrões do Rio vão em cana.

Na vida real e na Globo.

PHA

Aumentou o rombo do Meirelles! É a Receita, estúpido!

É um colosso, Cegonhóloga!

Conversa Afiada, 24/11/2017

O Conversa Afiada reproduz do Valor

A Receita Federal registrou arrecadação total de R$ 121,144 bilhões em outubro, o que representa uma queda real de 20,73% na comparação com o mesmo mês de 2016. O recuo ocorre por conta do fato de que, em outubro do ano passado, houve receitas de R$ 46,287 bilhões da repatriação de ativos no exterior. Sem correção inflacionária, a receita em outubro teve queda de 18,59% na comparação com mesmo mês do calendário anterior.

No acumulado de 2017, a arrecadação total superou a marca de R$ 1 trilhão pela primeira vez no ano, ficando em R$ 1,089 trilhão. O número representa queda real de 0,76% e alta nominal de 2,78% ante um ano antes.

Excluindo-se efeitos dos fatores não recorrentes e do aumento da arrecadação devido ao reajuste das alíquotas do PIS/Cofins, a arrecadação de outubro apresentou crescimento real de 4,20%; de janeiro a outubro de 2017, teve elevação de 1,46% em termos reais.

O que eles disseram

Temer é recebido em Rondônia com bajulação de políticos enrolados na Justiça Dos 18 políticos que ladearam Temer em Rondônia, 4 não têm processos na justiça. Poucos passaram pela revista e credenciamento para ver de perto o presidente golpista e acusado de corrupção, Michel Temer, inaugurar o Hospital de Amor da Amazônia, uma extensão do Hospital do Câncer de Barretos.

Quem salvou Temer escolheu um Estado que não reconhece direitos A decisão de impedir que denúncias de corrupção não prosperassem atinge diretamente muitas das conquistas realizadas nos últimos anos, como programas, políticas públicas e até direitos já consolidados, como os das relações de trabalho e aposentadoria. Avanços nas áreas da saúde, educação, ciência e tecnologia, infraestrutura e na área social que foram fundamentais no desenvolvimento mais igualitário do país.

Endeusaram o pré-sal Agora que foi iniciado o processo de transferência das reservas do pré-sal brasileiro para as petroleiras estrangeiras. Só agora Pedro Parente mudou seu discurso. Agora, para ele, o pré-sal é valioso.

Lula contra a sociedade feudal Quem sempre deteve e reteve privilégios, não abre mão de continuar em sua zona de conforto, ainda que essa represente uma desonestidade social e econômica, em relação a outros grupos menos favorecidos. A mentalidade da nossa elite sempre foi provinciana (e há um orgulho pátrio em pensar e agir de tal forma) e se apoia sobre um sistema feudal de divisão social.

Encurralada por segurança de Temer só por causa de uma camiseta A intimidação ao meu trabalho jornalístico ocorreu na inauguração do Hospital de Câncer da Amazônia, inaugurado com a presença do presidente golpista Michel Temer e quase toda a bancada federal rondoniense. Passei pelo credenciamento como jornalista e tive a bolsa revistada para ter acesso à área destinada à imprensa. Tudo certo, não fosse a camiseta com os dizeres: Fora Temer. Um ato solitário e pacífico, incapaz de ameaçar a ordem no recinto.

TV Record ataca a Igreja Católica em segundo capítulo da novela Apocalipse A polêmica entre católicos e evangélicos saí dos templos religiosos e se materializa em rede nacional de televisão, em horário nobre. Ainda é muito cedo para se avaliar o que causará entre os Católicos. O certo é que a Rede Record de Televisão parece que está buscando causar polemicas para alcançar objetivos tais como: levar sua doutrina aos lares brasileiros. Colar na Igreja católica a personificação do mal e ter audiência. 

Temer quer implementar o parlamentarismo sem consultar o povo em plebiscito Temer deve usar seu indicado ao Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, para acelerar discussão acerca do modelo parlamentarista no Brasil – o medo das eleições tem se expandido.

Economia e finanças fazem o clima da COP 23 As nações mais desenvolvidas se comprometeram em levantar, até 2020, U$ 100 bilhões por ano para ajudar os países em desenvolvimento a reduzir emissões de gases-estufa e se adaptar às mudanças climáticas. Porém, até o momento, o montante obtido é de modestos U$ 10,3 bilhões, pouco mais de 1,5% do estipulado; o Brasil destacou a queda do desmatamento, mas pouco falou sobre a isenção de R$ 1 trilhão dada às petroleiras.

Futebol, Paixões e Prerrogativas Aplica-se, hoje, de forma assustadora e indiscutível , um novo Direito Penal , em que o acusado é execrado publicamente, às vezes sem que um único inquérito sequer tenha sido contra ele instaurado...

A prática racista do presidente da EBC A banalização do racismo em nossa sociedade merece punição exemplar, em respeito ao público da EBC, à sociedade brasileira e aos direitos fundamentais que os meios de comunicação devem valorizar e preservar.

Temer faz de Marun uma Viúva Porcina Aécio mostrou que tem força no governo e Marun, convertido a Viúva Porcina, mostrou que não tem tanta força quanto imaginava ter. A Viúva Porcina, isto é, Marun, por sua vez, minimiza o chapéu que levou de Temer e do PSDB. Ele jura que nunca recebeu convite oficial para ser ministro da Secretaria Geral.

Com Temer o Brasil acelera, rumo à Idade Média Com essas novas regras o mercado de tralho no Brasil não poderia se tornar mais parecido com as condições vigentes durante a Revolução Industrial, quando os trabalhadores eram submetidos a jornadas exaustivas, de até 16 horas, inclusive mulheres e crianças.

Câmara simula palestra para promover projeto contra diversidade de gênero nas escolas Se a Constituição Federal diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza e que a igualdade deve ser promovida, o debate sobre pluralidade familiar e de gênero não pode ser inibido.

Defender Paulo Freire é lutar por uma sociedade humanizada Pedagogia do Oprimido e dezenas de outros títulos fazem de sua obra, sempre atual, a mais traduzida entre autores brasileiros. E em nenhum lugar do mundo existe um debate sério sobre educação que não leve em conta a contribuição de Paulo Freire.

Aos pobres? Circo e pão, é o que basta! Afirmavam os romanos O congresso, o judiciário e o executivo estão dominados por forças golpistas. O território é deles. Fim de conversa. Ainda temos as ruas. Este é nosso campo de batalha.

Ah, meu país, o que fizeram contigo?! Não podemos mudar o mundo eu sei, mas, podemos mudar o nosso mundo e daqueles que nos rodeiam, podemos lutar para que essa dura realidade que está aí seja mais amena, mais justa.

O garrote da “lei modernizadora” O governo Temer optou por fazer uma aliança com os poderosos e com o setor financeiro. Não há nenhum compromisso com o desenvolvimento social e com a melhoria de vida do povo brasileiro. Às ruas, cidadãos!

O fundo poço O governo Temer, teleguiado por uma plutocracia apátrida, mancomunado com uma caterva firmemente ancorada no Parlamento e adicionalmente amparado por parte teologicamente equivocada do Judiciário, sente-se absolutamente inimputável e, portanto, acima do bem e do mal.

Cidade exemplo do belo e do crime para o Brasil e para o mundo O Rio também é um exemplo claro da hipocrisia nacional. Ora, se a comercialização de drogas e armas é crime como pode isso ocorrer tão às claras? Simplesmente porque o dinheiro ilícito financia campanhas e enriquece exageradamente empresários e autoridades de todos os poderes.

Nem depois de morta Marisa Letícia é absolvida pela lava jato O TRF-4 negou absolvição sumária da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, que morreu em fevereiro deste ano. O juiz Sérgio Moro havia extinto a punibilidade de Marisa, mas não absolveu de maneira sumária como requereu sua defesa no caso do tríplex. Para o TRF-4, essa discussão da absolvição de Marisa Letícia é "estéril" porque, segundo o desembargador Leandro Paulsen, "o Estado não mantém o processo em andamento. Não julga alguém que já faleceu".

Dez passos para entender os riscos de entregar a Base de Alcântara aos EUA O objetivo americano não é impedir que o Brasil tenha uma base competitiva de lançamento de foguetes; isto o Governo brasileiro já impede que ocorra pela contenção de despesas com o programa espacial brasileiro. O objetivo principal norte americano é ter uma base militar em território brasileiro na qual exerçam sua soberania, fora do alcance das leis e da vigilância das autoridades brasileiras, inclusive militares.

A dicotomia emprego/desemprego O recente aumento na taxa de desemprego no Brasil está diretamente influenciado pela prática das políticas de ajuste econômico que conduziram à recessão. Pelo aumento do desemprego nesse primeiro semestre, o ano de 2017 se apresenta como o pior momento transitório de ajuste econômico mais severo observado nas últimas três décadas.

Mais um agressor: Villa também ataca Tais Araújo

É mais um golpista a manisfestar seu preconceito raivoso! 

Depois dos comentários desastrosos do secretário do Rio Cesar Benjamin, e do deboche do presidente da EBC, Laerte Rimoli, Marco Antonio Villa entrou na onda racista contra a atriz Taís Araújo na internet: "Eu vi, recentemente, uma atriz, aí, dizendo assim: 'Quando eu caminho com meu filho, alguém vem, me vê com meu filho, atravessa a rua, vai pra outra calçada'. Ah, que que é isso? Ela tá imaginando que o Brasil é a África do Sul, é o Apartheid? Que isso? E uma atriz da classe dominante, que ganha 'milhões'? Haja picaretagem!"

Encontro com Temer foi 'coincidência', diz Toffoli

Definitivamente, o judiciário também perdeu a vergonha!

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta sexta-feira, 24, que foi uma "coincidência" o fato dele ter se encontrado com Michel Temer na mesma semana em que o STF voltou a discutir a limitação do foro privilegiado, julgamento interrompido porque Toffoli pediu vistas.

"Jamais. Foi uma coincidência o encontro, pode-se até fazer esta ilação, entendo. Mas eu não concluo jamais porque o tema não foi tratado", afirmou Toffoli à jornalista Andreia Sadi.

O ministro disse que não deverá devolver o processo ainda neste ano. Por que, ministro?

Lula diz que Temer e seu grupo estão vendendo o País sem consultar o povo


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou nesta sexta-feira, 24, sua convicção de ser novamente candidato à Presidência da República nas eleições de 2018.

Em entrevista à Agência EFE, o líder em todas as pesquisas de intenções de voto atacou o plano de privatizações de Michel Temer.

"Aqui em vez de fazer investimentos e gerar emprego e gerar riqueza, eles vão vendendo as coisas que não são deles, e vão vendendo sem consultar o povo. Construíram uma maioria fascista no Congresso Nacional e acham que podem se desfazer do Brasil", criticou

Lula esclareceu que não perdoou os políticos que respaldaram a cassação de Dilma, mas os cidadãos que se mostraram a favor da saída da petista.

"O que eu estou perdoando é que os golpistas não fizeram o golpe apenas porque eles quiseram, eles tiveram o apoio de uma parcela da sociedade. Essa gente que foi para a rua, essa gente que bateu panelas".

Laboratórios doam remédios vencidos, ganham isenção e Doria joga fora


Mais um escândalo atinge a administração de João Doria, prefeito de São Paulo eleito pelo PSDB.

Laboratórios farmacêuticos doaram à Prefeitura remédios praticamente vencidos, ganharam isenção fiscal e se livraram dos custos de descarte, mas os produtos, impróprios para uso humano, tiveram que ser jogados fora pela prefeitura.

A denúncia foi publicada nesta manhã pela CBN.

Doria, que se vendia como "gestor" moderno, anunciou ontem que não disputará mais a presidência e disse que pode ser candidato a governador, mas escândalos recorrentes podem abalar suas pretensões políticas.

Dilma se solidariza a Kátia e diz que PMDB persegue quem é honesto


Presidente deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, diz que a expulsão da senadora Kátia Abreu do PMDB "é um jogo de cartas marcadas com que o grupo que se apossou do PMDB tenta perseguir os políticos sérios, honestos e progressistas que pertencem ao partido e lutam pela preservação de sua história".

Dilma foi defendida com garra pela parlamentar durante o golpe que levou o PMDB de Michel Temer ao poder e acabou sendo expulsa pela Comissão de Ética do partido por criticar o atual comandante do Planalto, que é investigado por corrupção; Dilma manifestou a Kátia "toda a solidariedade e o apoio que ela fez por merecer" ao se posicionar contra o golpe e os retrocessos desse governo.

Centrais sindicais convocam greve geral contra a reforma da previdência


Principais centrais sindicais do País decidiram em reunião nesta sexta-feira, 24, deflagrar uma greve nacional a partir do dia 5 de dezembro, contra a reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer.

Além de paralisações em todas as capitais, dirigentes da CUT, CTB, CSB, CSP, UGT, Força Sindical, Intersindical e Nova Central, que participaram da reunião, prometem fazer campanha nas redes sociais para "desmascarar as mentiras do governo acerca da reforma", pressão nos deputados federais nos aeroportos e agendas públicas dos deputados e assembleias com as categorias.

Em artigo, o presidente da CUT, Vagner Freitas, já avisou que se "se mexerem na Previdência, o Brasil vai parar"; "Duvidem disso e nos aguardem!", diz Freitas.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

No regabofe de Temer sobrou comida: Adeus reforma


"Desde sempre, o afluxo aos banquetes foi medida de prestígio dos governantes. Sobrou comida no jantar que Temer ofereceu ontem a deputados, tentando juntar os cacos de seu governo para aprovar uma reforma da Previdência mitigada, nem por isso menos danosa aos trabalhadores. Mais de 300 deputados foram convidados, só uns 150 apareceram no Alvorada (...)". 

"Claro está que ele não terá votos para aprovar esta reforma em dezembro. Nesta área, o jogo acabou", avalia Tereza Cruvinel; "Temer não aprovará a reforma previdenciária nem qualquer outra medida prometida ao mercado por ocasião do golpe e da posse por uma razão elementar: a chamada sua base nunca passou de ajuntamento de interesses para viabilizar o golpe e o assalto ao butim do poder. Boa parte dele já foi distribuído para garantir a rejeição das denúncias", acrescenta a colunista.

Opinião de leitor sobre o suspeito pedido de vista do ministro Dias Toffoli

Ele quer “VISTAS” ? ? ? Ministro, abra a janela do seu gabinete e terá uma “Vista” de como a população do Pais, olha para os Senhores! Ministro não precisa pedir “VISTAS” nós lhe fornecemos os “óculos” para clarear sua visão, que terá uma “grau” altíssimo de, INDIGNAÇÃO para a vista ESQUERDA e DESCONFIANÇA para a vista DIREITA!

Supremo revela tendência à autodesmoralização

Josias de Souza, 23/11/2017 18:52

A questão é de enorme relevância. E deveria preocupar a todos. Tomado por suas decisões mais recentes, o Supremo Tribunal Federal tomou gosto pelo comportamento de alto risco. O pedido de vista do ministro Dias Toffoli, que interrompeu o julgamento sobre a restrição do foro privilegiado, confirma uma estonteante tendência para a autodesmoralização.

Muita gente está empenhada em chamar a atenção do Supremo. Foi assim no caso do afastamento meia-sola de Renan Calheiros da linha sucessória da Presidência da República. Os alertas soaram também quando o STF lavou as mãos no caso de Aécio Neves. Mas isso parece agravar a situação. Quanto mais se critica a Suprema Corte, mais desmoralizada ela se empenha em ficar.

A instância máxima do Judiciário brasileiro demonstra uma incapacidade atroz de resistir aos impulsos autodestrutivos. Já é possível concluir, sem qualquer margem para dúvidas, que o Supremo caminha para igualar-se em desmoralização ao Legislativo e ao Executivo. Com uma diferença: os políticos foram arrastados para o caldeirão pela Lava Jato. O Supremo pula no melado ardente voluntariamente.

Por 7 votos a 1, prevaleceu o voto do ministro Luís Roberto Barroso. Por esse voto, o foro privilegiado valerá apenas para os crimes cometidos durante o exercício do mandato, se tiverem alguma relação com o exercício da função pública. Dito de outro modo: o privilégio seria exceção. Como regra geral, todos seriam igualados perante a lei. Ao pedir vista, sabe-se lá em nome de quais interesses!, Dias Toffoli comportou-se como menino dono da bola que interrompe uma partida que perdia de goleada.

Aos pouquinhos, vai se solidificando a impressão de que um pedaço do Supremo opera para oferecer proteção a malfeitores. Foi à lata do lixo todo o prestígio que a Suprema Corte amealhara no julgamento do mensalão. Mas não se deve dizer isso em voz alta. Aí mesmo é que o Supremo pode atear fogo às togas. Impossível prever o comportamento de um suicida.

Expulsa do PMDB, Kátia diz: Corruptos venceram. Não é punição, é biografia

Blog do Josias de Souza, 23/11/2017 20:21

Ex-ministra de Dilma Rousseff, crítica mordaz do governo de Michel Temer, a senadora Kátia Abreu (TO) foi expulsa do PMDB pela Comissão de Ética da legenda. Reagiu assim: “Lutei pela democracia no partido. Os corruptos venceram. Mas não por muito tempo. Foi uma vitória de Pirro. Minha expulsão não é uma punição. É algo para entrar na biografia.”

Em nota, a senadora expulsa fez pose de navio que foi abandonado pelos ratos. Vai abaixo o texto de Kátia Abreu:
A comissão de ‘ética’ do PMDB decidiu pela minha expulsão do partido de Ulysses Guimarães e Tancredo Neves.

Fui expulsa exatamente por não ter feito concessão a ética na política.

Fui expulsa por defender posições que desagradam ao governo.

Fui expulsa pois ousei dizer não a cargos, privilégios ou regalias do poder.

A mesma comissão de ''ética'' não ousou abrir processo contra membros do partido presos por corrupção e crimes contra o país.

Fiquei no PMDB e não saí como queriam. Fiquei e lutei pela independência de ideias e por acreditar que um partido deve ser um espaço plural de debates. A democracia não aceita a opressão.

Hoje os membros da comissão de ''ética'' imprimiram na história do partido que lutou contra a ditadura, a mácula do sectarismo e da falta de liberdade.

Sigo na luta política.

Sigo com Ética.

Sigo sem medo e firme nos meus propósitos, pois respeito minha família, respeito o povo do Tocantins e do Brasil, que ainda acreditam que esse país pode ser melhor.''

PMDB expulsa Kátia e assume seu lado bandido

E por que não expulsa Eduardo Cunha, Geddel Vieira e outros?

O mesmo partido que não tomou qualquer providência contra Eduardo Cunha, que governa o Brasil da cadeia, Geddel Vieira Lima, do bunker de R$ 51 milhões, e Henrique Alves, todos presos, decidiu expulsar a senadora Kátia Abreu (TO); motivo: crítica a Michel Temer, apontado como chefe de quadrilha pela PGR.

A ex-ministra da Agricultura de Dilma Rousseff foi acusada também de ter violado o Código de Ética e Fidelidade Partidária e o Estatuto da sigla, por apresentar posições contrárias às orientações do PMDB.

Ela votou contra a reforma trabalhista, que retira direitos dos trabalhadores, e se manifestou contra a reforma da Previdência.

No PMDB parece imperar a regra: quem defende o trabalhador e critica corruptos, não tem vez no partido.

Lula diz que "adoraria disputar com alguém com o logotipo da Globo na testa"

Essa foi uma referência à colocação do apresentador Luciano Huck, que tem sido cortejado por partidos, como PPS e DEM, para disputar o pleito presidencial do próximo ano e que contaria com o apoio da emissora.

Ex-presidente Lula disse que não se vê fora das disputa presidencial de 2018 e afirmou que o que mais deseja é "disputar as próximas eleições com alguém com o logotipo da Globo na testa".

A declaração a uma rádio de Goiás é uma referência à colocação do apresentador Luciano Huck, que tem sido cortejado por partidos, como PPS e DEM, para disputar o pleito presidencial do próximo ano e que contaria com o apoio da emissora.

Nesta quinta-feira (23), o empresário Alexandre Accioly, sócio de Huck em uma rede de academias e amigo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), foi alvo de mandados de busca e apreensão e levado pela Polícia Federal para prestar depoimento em um desdobramento da Lava Jato.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

O golpismo como tragédia e como farsa


"Uma nova vitória eleitoral do projeto encarnado por Lula representará também uma grande derrota da direita, com o fracasso do golpe e da tentativa de restauração neoliberal", escreve o cientista político Emir Sader.

Para ele, "o novo golpe impõe a necessidade de uma nova estratégia de redemocratização do país, que desta vez não pode se limitar a restabelecer as normas formais do liberalismo político".

"Se o primeiro golpe foi uma tragédia, o segundo é uma farsa, que precisa ser derrotada, para que as conquistas democráticas estabeleçam raízes profundas na sociedade e no Estado brasileiro", afirma.

Presidente da EBC será denunciado por racismo


Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação pretende denunciar o presidente da EBC, Laerte Rimoli, por debochar nas redes sociais de declaração da atriz Taís Araujo, que recentemente afirmou que seu filho é vítima de racismo.

Para a jornalista Renata Mielli, coordenadora do FNDC, as postagens de Rimoli são graves porque racismo, no Brasil, é crime.

"E se tornam mais graves ainda por incompatíveis com a função de um gestor de comunicação pública, que deveria zelar pelo fim de todas as formas de discriminação", afirmou.

Depois de repercussão negativa, Rimoli pediu desculpas.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Ao restabelecer prisões TRF-2 dá aula ao STF

Blog do Josias de Souza, 21/11/2017 16:26

Em decisão unânime —5 votos a 0—, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região restabeleceu a ordem de prisão contra três caciques do PMDB do Rio de Janeiro: Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Com essa decisão, os desembargadores do TRF-2 deram uma lição ao Supremo Tribunal Federal. Ensinaram o seguinte: quando a Justiça não faz da roubalheira uma oportunidade para impor a lei, os tribunais viram uma oportunidade que os larápios aproveitam.

Presos na semana passada, os três xamãs do PMDB fluminense foram libertados por decisão da Assembleia Legislativa do Rio. Abriram-se as celas sem que ao menos o TRF-2 fosse comunicado sobre a revogação de sua decisão. Nesta terça-feira, ao discorrer sobre a encrenca, um dos desembargadores do tribunal, Paulo Espírito Santo, disse ter enxergado as imagens dos deputados deixando o presídio de carro, sem ordem judicial, como “um resgate de filme de faroeste.”

O doutor resumiu assim a cena: “Acabo de ver, na sexta-feira passada, algo que nunca imaginei ver na vida. Nunca vi uma coisa dessas. Não há democracia sem Poder Judiciário. Quando vi aquele episódio, que a Casa Legislativa deliberou de forma absolutamente ilegítima, e soltou as pessoas que tinham sido presas por uma Corte federal, pensei: o que o povo do Brasil vai pensar disso? Pra quê juiz? Pra quê Ministério Público? Pra quê advogado? Se isso continuar a ocorrer, ninguém mais acreditará no Judiciário. O que aconteceu foi estarrecedor. Que país é esse?”

O desembargador Espírito Santo não disse, talvez por cautela, mas o Brasil virou um país em que a Suprema Corte às vezes fica de cócoras quando o Poder Legislativo faz cara feia. Assim procedeu ao lavar as mãos no caso do tucano Aécio Neves, autorizando o Senado a anular sanções cautelares como a suspensão do mandato e o recolhimento domiciliar noturno. Conforme já noticiado aqui, o STF tinha a exata noção de que abria um precedente que não passaria em branco nos Estados.

O debate sobre as prerrogativas dos legislativos para revogar prisões e sanções impostas a parlamentares federais e estaduais ainda vai dar muito pano para a manga. No Rio, a maioria cúmplice da Assembleia não há de ficar inerte. Farejando o cheiro de queimado, outro desembargador, Abel Gomes, mencionou inclusive a hipótese de o TRF-2 requerer ao STF intervenção federal na Assembleia fluminense.

A confusão certamente chegará ao Supremo, oferecendo aos ministros a oportunidade de se reposicionar em cena. Sob pena de desmoralização do Judiciário. Na antessala das urnas de 2018, não restará ao brasileiro senão a alternativa de praguejar na cabine de votação: ''Livrai-me da Justiça, que dos corruptos me livro eu.''

João Gordo: Nunca votei no Lula, mas agora vou votar


O músico e apresentador João Gordo também está convencido de que somente o ex-presidente Lula pode unificar o País; ele revela que nunca foi eleitor de Lula, mas agora está determinado a votar nele para barrar os "idiotas" que "se juntaram".

"Nunca votei no Lula, mas agora vou votar. Porque, do jeito que a coisa está indo, em 2039 a suástica vai ser moda, cara. Vai ter pijaminha de suástica. Óculos de suástica. A bandeira do Brasil vai ter uma suástica vermelhona; Gordo repudia a candidatura de Jair Bolsonaro, cujos eleitores, em sua opinião, são fascistas.

"Eles começaram a se juntar nesse movimento fascistão. Você vê o monte de babaca que tem por aí. E o negócio é isso aí. Bolsonaro no seu rabo, meu irmão".

Lula deu uma sinuca de bico na Casa Grande

Genro: mas Lula também está numa sinuca

Conversa Afiada,  21/11/2017
(Crédito: Ricardo Stuckert)

O Conversa Afiada reproduz do Sul21 artigo de Tarso Genro, ex-Governador do Rio Grande do Sul:

“Duas frases exprimem a insustentabilidade do reducionismo” – diz Karel Kosik – no seu Dialética do Concreto – “Franz Kafka é um intelectual pequeno-burguês; mas nem todo intelectual pequeno-burguês é Franz Kafka”. Parodiando o filósofo tcheco, nascido em Praga em 1926, transitando dos escritores para personalidades políticas, poder-se-ia dizer que “Lula é um político democrático de caráter pragmático, mas nem todo o político pragmático democrático é como Lula”. Assim como poder-se-ia dizer que “Macron foi uma saída liberal de centro-direita genial, das altas finanças do capital financeiro, para a França, mas nem toda a saída liberal de centro-direita – num momento de aperto – é genial, basta ver Temer”. Poderíamos prosseguir ao infinito- no plano da política, normalmente mais acolhedor dos reducionismos vulgares, mas a questão que inspira este artigo é outra.

Poderíamos fazer uma série de considerações de natureza ideológica e histórica para dizer que Lula, “esnucado”, deu uma sinuca de bico no oligopólio da mídia. Este, com os grupos de centro-direita e da direita dos diversos partidos, com os antigos aliados fisiológicos de Lula e com os grupos empresariais subvencionados da Avenida Paulista – aliados do capital financeiro de olho na dívida dívida pública – aproveitaram a fraqueza política do Governo Dilma e promoveram o golpismo paraguaio, que achávamos impensável no Brasil da Constituição de 88. Moveram mundos e fundos – principalmente fundos – atacaram o inconsciente coletivo, moldando-o com o convencimento de que os problemas do Brasil eram a CLT e o PT e nos levaram a maior e mais profunda divisão política, depois do golpe contra Jango em 64.

Sou contra o restabelecimento de uma aliança de poder com qualquer partido fisiológico que integrou conosco os Governos Lula e Dilma e defendo que formemos, no país, uma nova maioria política da esquerda plural, em torno de um programa de transição de uma economia liberal-rentista, para uma economia de taxas elevadas de crescimento, que reforce o setor público como balizador do desenvolvimento estratégico da nação e proporcione, no curto prazo, mais democracia com geração de emprego e renda. Um programa que, excluindo da agenda imediata as questões que nos dividem, firme um compromisso positivo em torno de pontos claros, capazes de serem implementados com realismo, para bloquear, pelo menos, o desmonte em curso. Se isso não ocorrer, em poucos anos uma força de esquerda que chegar ao Governo não vai ter o que governar e ela será apenas a herdeira do caos.

O ideal seria um programa semelhante ao que o Syriza, na Grécia, tentou, mas que soçobrou por falta de apoio interno e de sustentação mínima da própria social-democracia européia. Mas a experiência portuguesa, tendo à proa o Partido Socialista, com apoio do PCP e do Bloco de Esquerda, até agora deu certo e mostrou que não é impossível – mesmo em condições adversas – enfrentar as perversidades neoliberais e redespertar em milhares o gosto pela política e o apreço à democracia. Portugal, com o governo de centro-esquerda atual, tem as taxas de crescimento mais elevadas da Europa, reduziu o déficit público, aumentou o emprego, estancou as privatizações selvagens e valorizou o salário mínimo. Portugal tem, atualmente, o governo mais generoso e democrático na Europa, o que não é pouco quando a hidra do fascismo, do racismo, do sexismo, da violência fundamentalista, ergue as suas mil cabeças odiosas.

A “sinuca de bico” do pragmatismo lulista redundou no seguinte: comparem quaisquer dos candidatos com Lula e apontem qual deles, independentemente do seu currículo moral e político, tem mais condições de pacificar o país; comparem quaisquer dos candidatos com Lula e apontem qual deles demonstrou, concretamente, que governou melhor para as maiorias pobres e excluídas; comparem quaisquer dos candidatos com Lula e apontem qual deles, se for inviabilizado para concorrer, torna ilegítimo o Presidente que for eleito em 2018; comparem quaisquer candidatos com Lula e digam qual deles foi mais perseguido pela mídia e pela “elite” e que tem condições, se eleito, de”perdoar”, pragmaticamente, os seus próprios detratores; e, finalmente, comparem quaisquer candidatos com Lula e digam qual deles teria a capacidade de pedir, depois de eleito, paciência ao povo espoliado deste país, porque precisamos de tempo para sair desta crise brutal, que nos assola sem piedade.

Esta é a “sinuca de bico” que Lula deu, nos que pediram a sua morte política e também propagaram a necessidade da sua morte física. Lula é um pragmático (genial politicamente), mas nem todo o pragmático é (genial politicamente) determinado como Lula. Resta saber se as alianças que Lula vai compor não lhe darão, também, uma “sinuca de bico”, pois podem fazê-lo tornando disforme o sentido estratégico do seu pragmatismo, que sempre foi destinado a melhorar e dignificar a vida do povo trabalhador – a qualquer custo – permitindo que “todos ganhem”. Na verdade, esta possibilidade se esgotou com a crise mundial, com a ascensão de Trump, com a seguidas vitórias da direita na Europa e na América Latina, com o capital financeiro cobrando as suas contas -devidas e indevidas- originárias dos séculos sem fim de opressão colonial e neocolonial. Assim como Moro foi “condenado a condenar” Lula, Lula está condenado a resolver este grande enigma pragmático, que é o que vai preencher os atos finais do seu percurso na História.

Encerro também com Kosik, para relativizar, não para contemporizar com o pragmatismo: “Nenhuma época histórica é, em absoluto, apenas uma passagem para outro estágio, assim como nenhuma época se eleva acima da história. A tridimensionalidade do tempo se desenvolve em todas as épocas: se agarra ao passado com os seus pressupostos, tende para o futuro com as suas consequências e está radicada no presente pela sua estrutura.” É mais ou menos o que lembro ter dito T.S. Eliot, num poema clássico: tempo futuro e tempo passado estão fundidos no tempo presente. Será o resto, silêncio, em nosso meio?

***

Tarso Genro foi Governador do Estado do Rio Grande do Sul, prefeito de Porto Alegre, Ministro da Justiça, Ministro da Educação e Ministro das Relações Institucionais do Brasil.

Procurador ironiza novo diretor da PF: quantas malas são necessárias?

Nessa segunda, o novo diretor da PF disse que 'uma única mala' talvez seja insuficiente para comprovar se os investigados cometeram crime de corrupção

Jconline, 21/11/2017, às 10h10
Carlos Fernando faz parte da força-tarefa da Lava Jato no MPF Foto: Agência Brasil JC Online

Membro da força-tarefa da Operação Lava Jato no Ministério Público, Carlos Fernando dos Santos Lima ironizou, nesta terça-feira (21), as primeiras declarações do novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia. "Uma pergunta: Quantas malas de dinheiro são suficientes para o novo diretor-geral da Polícia Federal", questiona Carlos Fernando em sua conta no Facebook.

Nessa segunda, o novo diretor-geral da PF afirmou que a investigação que levou a Procuradoria-Geral da República (PGR) a denunciar o presidente Michel Temer poderia ter sido mais longa. Para ele, se a apuração estivesse “sob a égide” da PF, e não da PGR, a corporação pediria mais tempo para avaliar “se havia ou não corrupção”.

Leia Também

Segovia afirmou que "uma única mala" "talvez" seja insuficiente para comprovar se os investigados cometeram crime de corrupção. O diretor da PF se referia à mala com R$ 500 mil em dinheiro – supostamente propina – entregue em abril deste ano pelo executivo Ricardo Saud, do frigorífico JBS, para o então deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-MG). Ex-assessor e homem de confiança de Temer, Rocha Loures foi preso em razão do episódio. A suspeita da PGR na denúncia é de que Temer seria o destinatário final do dinheiro.

PROCURADOR REBATE

O procurador Carlos Fernando já havia afirmado, ontem, que não cabe a Fernando Segovia emitir opinião sobre as denúncias na operação. “Sua opinião pessoal é totalmente desnecessária e sem relevância, ainda mais quando dada em plena coletiva após a posse que lhe foi dada pelo próprio denunciado”, escreveu.

Segovia foi indicado ao comando na PF por Michel Temer, denunciado duas vezes pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. Ao jornal Folha de SP, Janot disse que a fala de Segovia sobre a mala mostra desconhecimento da legislação e do trabalho feito pela própria Polícia Federal nesse caso. Ele ainda questionou o motivo das declarações. "A pergunta que não quer calar é: ele se inteirou disso ou ele está falando por ordem de alguém?"

TRF2 determina que Picciani, Melo e Albertassi voltem à prisão


Tribunal Regional Federal da 2ª Região determinou o retorno dos deputados peemedebistas Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Paulo Melo e Edson Albertassi à prisão.

Por 5 votos a 0, os desembargadores decidiram por uma nova prisão dos parlamentares, que haviam sido libertados sem que a decisão tivesse sido comunicada oficialmente ao tribunal; relator da matéria, Abel Gomes, defendeu que caso a ordem não seja cumprida, seja encaminhado um requerimento ao Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando intervenção federal no estado do Rio de Janeiro.

Constatação

'Temos juízes com férias de 60 dias e outros que não trabalham de segunda e sexta', diz presidente da OAB-SP sobre lentidão da Justiça

“Fim do Farmácia Popular é sentença de morte para milhares”, diz Humberto


Após o governo de Michel Temer (PMDB) fechar cerca de 400 unidades do Farmácia Popular, com a promessa de manter a distribuição de medicamentos gratuitos em instituições privadas, o programa, agora, corre risco de acabar; governo estuda uma nova fórmula de calcular o preço dos medicamentos oferecidos pelo programa, com base no valor de atacado e nos custos de aquisição e distribuição dos produtos.

Os representantes do setor farmacêutico e sanitaristas acreditam que as alterações devem inviabilizar o programa.

O projeto tem rede credenciada de 30 mil estabelecimentos que ofertam remédios de graça ou com até 90% de desconto.

Janot rebate críticas de Segóvia: “Pau mandado”

Ele assumiu o cargo só pra isso!

Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República, reagiu às críticas do novo diretor-geral da PF, Fernando Segovia, em relação às delações dos dirigentes da JBS, que resultaram em duas denúncias contra Michel Temer.

Nesta segunda-feira, Segovia disse que a investigação foi encerrada antes do tempo e que mala apreendida com o ex-assessor do presidente Rodrigo Rocha Loures não serviria como prova; segundo Janot, Segovia desconhece as leis e menospreza o trabalho da própria Polícia Federal: "Ele é mesmo um pau mandado", afirmou.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Juristas fazem manifesto contra grampo nos advogados de Lula

Mesmo reconhecendo, em 2016, que as conversas gravadas originadas do Teixeira, Martins & Advogados são protegidas pelo sigilo legal e que o material deveria ser inutilizado, Moro não tomou  essa providência até a presente data. Porquê?

"Atenta contra o Estado de Direito o recurso apresentado pelo Procurador da República Januário Paludo ao Tribunal Regional Federal da 4a. Região no último dia 13/11 pedindo para ter acesso a conversas interceptadas do escritório Teixeira, Martins & Advogados", diz um manifesto assinado por 230 nomes do Direito.

"Em ofício encaminhado ao Ministro Teori Zavacki em 2016 o juiz Sérgio Moro reconheceu que as conversas gravadas foram originadas do Teixeira, Martins & Advogados e, portanto, são protegidas pelo sigilo legal. Afirmou, ainda, material deveria ser inutilizado, embora a providência não tenha sido adotada até a presente data, como seria de rigor de acordo com a lei".

Fux: decisão da Alerj de soltar deputados é 'promíscua', 'vulgar' e 'certamente será revista’


Para o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, é "lamentável", "vulgar" e "promíscua" a decisão da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro de soltar os deputados estaduais do PMDB Jorge Picciani (presidente da Alerj) ,Paulo Melo e Edson Albertassi.

Em entrevista à BBC Brasil, o ministro diz que a Alerj não poderia ter decidido sobre as prisões sem ter consultado o Judiciário. Ele afirmou categoricamente que a soltura de deputados estaduais por assembleias "certamente" será revista pelo Supremo.

Procurador da Lava-Jato: opinião de chefe da PF é ‘desnecessária e sem relevância’


Integrante da chamada força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima avalia que a opinião do novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segóvia, é "desnecessária e sem relevância".

Ele se refere à declaração de Segóvia em que ele, em sua cerimônia de posse, questionou as denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República contra Michel Temer.

"Sua opinião pessoal é totalmente desnecessária e sem relevância, ainda mais quando dada em plena coletiva após a posse que lhe foi dada pelo próprio denunciado", disse o procurador.

Quatro partidos se levantam contra o golpe parlamentarista


Em nota conjunta, os presidentes de quatro partidos – Carlos Lupi, do PDT, Carlos Siqueira, do PSB, Gleisi Hoffmann, do PT, e Luciana Santos, do PCdoB – protestam contra a mais recente manobra para aprofundar o golpe de 2016, que é a colocação em pauta, pelo ministro Alexandre de Moraes, de uma discussão sobre uma eventual emenda parlamentarista no Supremo Tribunal Federal.

Se essa ideia vingar, a turma de Michel Temer poderá se perpetuar no poder, mesmo tendo 95% de rejeição dos brasileiros.

"A repentina inclusão, na pauta do STF, de uma ação para definir se o Congresso tem poderes para adotar o sistema parlamentarista, sem consultar a população em plebiscito, é o primeiro passo de mais um golpe contra a democracia e a soberania popular no país", diz a nota.

Favores de Temer para Shell mostram que é dever travar MP entreguista



"A descoberta do pacote de favores prestados pelo governo Temer a Shell e outras empresas interessadas no pré-sal ocorre num momento em que o Planalto tenta aprovar uma medida provisória que representa um projeto de terra arrasada contra a industria local ligada ao petróleo", escreve Paulo Moreira Leite, articulista do 247.

"Incansável em seu esforço para entregar as riquezas do país a preço de banana, o governo quer aprovar uma Medida Provisória que acaba de vez com impostos contra equipamentos importados, que fazem parte do tratamento padrão em todo o mundo desde o surgimento dos Estados Nacionais".

Em palestras em vários pontos do país, o empresário José Velloso, presidente da Abimaq, que representa o setor de máquinas e equipamentos, tem denunciado a MP como prejudicial a industria e ao país.